Trata-se da calculadora financeira mais conhecida mundialmente.

Aonde baixar?

Você pode adquiri-la fisicamente, ou utilizando versões Web ou aplicativos para Android e iOS.

Pré-requisitos

Vamos aprender como utilizá-la para os cálculos que vimos nos artigos Juros Simples e Juros Compostos.

Introdução

Primeiro vamos dar uma olhada na calculadora:

As teclas que mais iremos usar são essas demarcadas com um retângulo vermelho na área superior da calculadora.

Vejamos o que cada uma significa:

n   -> número de períodos
i -> taxa de juros
PV -> valor presente
PMT -> prestações
FV -> valor futuro
CHS -> troca sinal (+ -)

Como você pode ver são as nossas conhecidas dos artigos sobre Juros.

Entender o que cada uma significa já é mais de meio caminho andado para que possamos utilizar a calculadora.

Basta digitar o número e pressionar a tecla para indicar o que esse valor representa.

Juros Compostos

Tomemos como exemplo um principal de R$ 1.000,00 aplicado a juros compostos de 1% ao mês pelo período de 10 meses.

Faça o passo a passo na sua calculadora (Física, Web, Android ou iOS).

Passo 1: digite o número 10;
Passo 2: pressione a tecla n (número de períodos);
Passo 3: digite o número 1;
Passo 4: pressione a tecla i (taxa de juros);
Passo 5: digite o número 1000;
Passo 6: pressione a tecla PV (valor presente);
Passo 7: pressione a tecla FV.

Ao pressionar a tecla FV perceba que ele já apresenta o resultado para o valor futuro que é de R$ 1.104,62.

Limitando o Valor da Aplicação

Como já vimos, existem CDBs que são protegidos pelo FGC até o limite de R$ 250.000,00.

Então se o FGC garante no máximo R$ 250.000,00, qual o valor máximo devo aplicar em um CDB de 5 anos (60 meses) que paga 1% ao mês?

Vamos ver o passo a passo na calculadora:

Passo 1: digite o número 60;
Passo 2: pressione a tecla n (número de períodos);
Passo 3: digite o número 1;
Passo 4: pressione a tecla i (taxa de juros);
Passo 5: digite o número 250000;
Passo 6: pressione a tecla FV (valor futuro);
Passo 7: pressione a tecla PV (valor presente).

Ao pressionar a tecla PV perceba que ele já apresenta o resultado para o valor presente que é de R$ 137.612,40.

Ou seja, você não deve ultrapassar R$ 137.612,40 para que o montante acumulado ao final de 5 anos não ultrapasse os R$ 250.000,00 garantidos pelo FGC.

Percebeu que basicamente você fornece os dados que você conhece e no final basta pressionar a tecla do que você quer descobrir.

Juros com Aportes Regulares

Até agora nossos cálculos levaram apenas em consideração um único aporte, que é o valor principal (valor presente).

Mas como ficaria o valor futuro caso eu realizasse aportes regulares?

Imagine que você queira saber quanto vai ter daqui a 20 anos (240 meses) fazendo depósitos (aportes) mensais de R$ 1.000,00 com juros de 1% ao mês.

Esse cenário é o que muitos se deparam quando tentam projetar uma reserva financeira para a aposentadoria.

Vamos ver o passo a passo na calculadora:

Passo 1: digite o número 240;
Passo 2: pressione a tecla n (número de períodos);
Passo 3: digite o número 1;
Passo 4: pressione a tecla i (taxa de juros);
Passo 5: digite o número 1000;
Passo 6: pressione a tecla PMT (valor da prestação);
Passo 7: pressione a tecla FV (valor futuro).

Ao pressionar a tecla FV perceba que ele já apresenta o resultado para o valor futuro que é de R$ 989.255,37.

Descobrindo o Valor dos Aportes

Um outro exemplo interessante é descobrir o valor das prestações para conseguir atingir um objetivo.

Por exemplo, imagine que você queira atingir a marca de 1 milhão daqui 20 anos (240 meses) e que você está projetando um rendimento de 1% ao mês para suas aplicações.

Qual o valor dos aportes mensais que você deverá realizar para conseguir atingir o primeiro milhão?

Vamos ver o passo a passo na calculadora:

Passo 1: digite o número 240;
Passo 2: pressione a tecla n (número de períodos);
Passo 3: digite o número 1;
Passo 4: pressione a tecla i (taxa de juros);
Passo 5: digite o número 1000000;
Passo 6: pressione a tecla FV (valor futuro);
Passo 7: pressione a tecla PMT (valor da prestação).

Ao pressionar a tecla PMT perceba que ele já apresenta o resultado para o valor da prestação que é de R$ 1.010,86.

Descobrindo o Juros Real

Outro exemplo interessante é aquele em que você quer descobrir o juros real.

Você sabe o valor principal (valor presente), sabe o valor da prestação e quer tirar a dúvida para saber se o juros é aquele informado.

Por exemplo, um carro de R$ 40.000,00 sendo pago em 48 prestações de R$ 1.200,00.

Vamos ver o passo a passo na calculadora:

Passo 1: digite o número 48;
Passo 2: pressione a tecla n (número de períodos);
Passo 3: digite o número 40000;
Passo 4: pressione a tecla PV (valor presente);
Passo 5: digite o número 1200;
Passo 6: pressione a tecla CHS (trocar o sinal);
Passo 7: pressione a tecla PMT (valor da prestação);
Passo 8: pressione a tecla i (taxa de juros).

Ao pressionar a tecla i perceba que ele já apresenta o resultado para o taxa de juros que é de 1,6% (a.m.).

O Passo 6 faz-se necessário para trocar o sinal para negativo (-1200), indicando um abatimento da dívida.


João Paulo Delgado Preti

Doutor pela Escola Politécnica da USP, possui mestrado em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Santa Catarina. Atualmente é professor associado do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Mato Grosso e presta consultoria em desenvolvimento de software.