Podemos classificar os tipos de investimento em 2 grandes tipos: renda fixa e renda variável.

A renda fixa é um tipo de investimento no qual você pode prever a rentabilidade, ao contrário da renda variável.

Apresentaremos um pouco sobre o assunto e alguns tipos de investimento, mas gostaríamos de deixar claro que esse assunto é muito extenso.

O objetivo, por enquanto, é fornecer uma ideia básica dos tipos mais conhecidos.

Renda Fixa

Basicamente a renda fixa consiste em você emprestar o seu dinheiro para algum interessado na captação do recurso financeiro.

Você empresta o dinheiro por um acordo para receber o principal mais um rendimento.

Vamos apresentar aqui os tipos de investimento em renda fixa mais populares.

Poupança

Este é o tipo de investimento mais conhecido pela população, mas as pessoas estão aprendendo a buscar novas formas de investir com baixo risco e melhor rentabilidade.

A poupança sempre teve o apelo de não precisar de altos valores de aplicação, além de ser isenta de imposto de renda e de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

Outra comodidade da poupança é que a rentabilidade é definida pelo Banco Central, ou seja, todos os bancos praticam a mesma correção.

O investimento paga 70% da Selic quando essa taxa de juros está baixa (até 8,5% ao ano). Já quando está acima desse percentual, a remuneração é de 0,5% ao mês mais a Taxa Referencial (TR).

Um ponto que muitos desconhecem é que a rentabilidade da Poupança é mensal. O que isso quer dizer?

Quer dizer que o valor que é aplicado, por exemplo, dia 4 de março, só terá remuneração no dia 4 de abril. Antes disso não ocorreu nenhum rendimento.

Isso funciona sempre, de mês em mês. Caso você aplique dia 4 de março e resgate dia 3 de maio, deverá contar com a rentabilidade de um mês: de 4 de março a 4 de abril.

Tesouro

Nesta modalidade de investimento você estará emprestando dinheiro para o governo. Considerado o investimento de menor risco do mercado, visto que o governo pode sempre fabricar dinheiro.

Neste link você pode visualizar os títulos que estão a venda pelo Tesouro.

Abaixo apresento os títulos disponíveis na data deste artigo apenas para exemplificação.

Como podemos observar existem diversas opções, mas podemos resumir da seguinte forma:

  • retornos que são indexados pela inflação (IPCA);
  • retornos que são prefixados;
  • retorno indexado pela Selic.

Indexados ao IPCA

Os retornos que são indexados pela inflação garantem como retorno a inflação mais um prêmio.

Podemos dizer que o prêmio representa o ganho real da aplicação, visto que, a correção da inflação está apenas preservando o seu poder de compra.

Normalmente esse prêmio é maior quanto mais longo for o vencimento do título.

Outra característica é que não sabemos exatamente o quanto iremos receber ao final da aplicação, mas temos certeza que o ganho será de X% acima da inflação.

Por exemplo, o título IPCA+ 2024 irá corrigir o seu valor investido pela inflação mais 3,7% ao ano e o valor mínimo para investimento é de R$ 53,51.

Quer dizer que se a inflação for de 10% no ano o IPCA+ 2024 irá render 13,7%, mas se for de 2% irá render 5,7% no ano.

Mas atento ao detalhe que esse rendimento só é garantido se você deixar o valor investido até a data de 15/08/2024.

Se quer investir para o longuíssimo prazo, o IPCA+ 2045 irá te dar 3,94% a mais do que a inflação, mas só se esperar até 15/05/2045.

Com Juros Semestrais

Perceba que existem títulos contendo o texto “com juros semestrais“.

Esses títulos pagam ao investidor o juros a cada 6 meses, ou seja, ao invés do juros ficar rendendo juros sobre juros até o vencimento, ele é devolvido para o investidor a cada 6 meses.

Essa é uma opção interessante para pessoas que já acumularam um patrimônio e desejam receber semestralmente o rendimento para poder usar como quiser.

Prefixados

O prefixado é o único que você sabe exatamente o quanto vai receber ao final da aplicação, mas cuidado, ele não te protege da inflação.

O que isso quer dizer?

Tomemos como exemplo dois títulos, um indexado IPCA+3,7% e outro prefixado de 7,89%. Se a inflação foi de 3% no ano, o título IPCA+3,7% terá rendido 6,7% no ano, enquanto o prefixado será sempre 7,89% ao ano.

A primeira vista o prefixado parece mais interessante pelo rendimento maior, mas imagine se a inflação dispara e chega a 7% no ano.

Nesse caso o IPCA+3,7% terá rendido 10,7% contra os 7,89% do prefixado.

Ou seja, o indexado pelo IPCA te protege contra flutuações da inflação enquanto o prefixado não.

Posso resgatar antes?

Sim. Na verdade você estará vendendo o seu título, o próprio Tesouro Nacional é quem recompra o título vendido pelo investidor.

Portanto, não terá problemas em vender o seu título e resgatar o investimento.

Mas muita atenção, nesse caso você estará sujeito às oscilações do mercado e poderá inclusive ter prejuízo na operação, bem como poderá ter mais lucro do que se esperasse até o vencimento.

O único título do tesouro que você pode resgatar a qualquer momento e sem o risco de obter rentabilidade negativa é o Tesouro Selic.

Indexado à taxa Selic

O Tesouro Selic por sua vez é um título de liquidez diária, muito utilizado para construir sua reserva de emergência ou caixa de investimento.

Esse título garante a rentabilidade da taxa Selic e pode ser resgatado a qualquer momento sem prejuízo e com o rendimento preservado.

CDB

Nesta modalidade de investimento você estará emprestando dinheiro para algum banco.

Considerado um investimento de baixo risco por ser garantido pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

Aqui também temos diversas opções, prefixados ou indexados por algum indicador como IPCA, CDI, …

Vejamos a lista abaixo com alguns exemplos reais coletados na data deste artigo:

Neste caso estaríamos emprestando no mínimo R$ 10.000,00 para o Banco Fibra com um prêmio de 4,55% acima da inflação. Esse empréstimo será pago em 04/06/2026.

Algumas corretoras fazem uma simulação para mostrar o valor líquido estimado, mas lembre-se que o rendimento irá variar de acordo com o IPCA.

Já o outro CDB abaixo é um prefixado.

Neste caso estaríamos emprestando no mínimo R$ 1.000,00 para o Banco Maxima por um retorno de 9,75% (a.a.). Esse empréstimo será pago em 24/06/2027.

Atualmente é possível resgatar antes, visto que, as corretoras fazem um mercado secundário para os CDBs, mas lembre-se que neste caso o rendimento não será mais o acordado inicialmente.

Debênture

Nesta modalidade de investimento você estará emprestando dinheiro para alguma empresa.

Considerado um investimento de risco mais alto que o CDB, porém com melhores retornos, mas isso não é uma regra.

O risco é mais alto porque ao contrário de outros títulos privados como CDB, LCI e LCA, as debêntures não contam com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC).

Aqui também temos diversas opções, prefixados ou indexados por algum indicador como IPCA, CDI, …

Vejamos a lista abaixo com alguns exemplos reais coletados na data de hoje:

Neste caso estaríamos emprestando a partir de R$ 1.018,90 para a empresa Pague Menos com um prêmio de 1,50% acima do CDI. Essa dívida deverá ser quitada até 11/02/2024.

Já neste outro exemplo estaríamos emprestando a partir de R$ 982,53 para a empresa de energia elétrica de Minas (CEMIG) com um prêmio de 4% acima da inflação. Essa deverá ser quitada até 15/02/2021.

Neste estaríamos emprestando a partir de R$ 1.224,98 para a Itarema Geração de Energia com um prêmio de 4,9% acima da inflação. Essa deverá ser quitada até 15/12/2028.

Perceba que nessa última debênture existe um incentivo (do governo) e por isso a isenção do imposto de renda.

LCI / LCA

Aqui estamos emprestando dinheiro para movimentar setores importantes da economia: o setor imobiliário e o de agronegócio.

A Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) são títulos emitidos por bancos e instituições financeiras.

Na LCI o dinheiro captado será utilizado em financiamentos no ramo de imóveis, enquanto na LCA o dinheiro será utilizado em financiamentos no ramo agropecuário.

Nesta modalidade também temos diversas opções, prefixados ou indexados por algum indicador como IPCA, CDI, …

Esses títulos também possuem a segurança do FGC e são isentos de Imposto de Renda.

Vejamos a lista abaixo com alguns exemplos reais coletados na data de hoje:

Aqui temos uma LCA emitida pelo Banco Original que rende 99% do CDI para receber em 24/05/2021. Perceba a isenção do imposto de renda.

Já nesta temos uma LCI prefixada emitida pelo Banco Fibra de 5,75% a.a.

Renda Variável

A renda variável é aquela em que você não sabe sobre o rendimento no momento do investimento. Vejamos alguns exemplos:

Bolsa de Valores

Aqui você pode experienciar grandes perdas, mas também grandes retornos.

Aqui nós encontramos empresas de capital aberto.

Empresa de capital aberto possui capital social formado por ações — títulos que representam partes ideais — livremente negociadas no mercado sem necessidade de escrituração pública de propriedade.

Ou seja, qualquer pessoa pode se tornar sócio dessas empresas.

Como o investidor ganha na Bolsa?

Visto que o investidor é sócio da empresa, ou seja, possui uma fração da empresa, ele poderá receber a participação nos lucros dessa empresa.

Sempre que a empresa distribui esse lucro, o investidor recebe a sua parcela na sua conta em sua corretora.

Se a empresa cresce e produz bons resultados, naturalmente o preço da ação irá subir, mais pessoas desejarão ser sócios dessa empresa.

Portanto, o investidor pode ter rendimento ao vender as suas ações por um preço maior do que quando comprou.

Aqui apresento 2 exemplos reais e opostos sobre o ganho ou prejuízo que você pode obter investindo em empresas de capital aberto.

Esse é o gráfico da evolução do preço das ações da Magazine Luiza (MGLU3).

Perceba que nesse gráfico de 5 anos a ação valorizou mais de 2.200%. A ação em junho de 2014 estava R$ 8,41 e em 03/06/2019 valendo R$ 194,74.

Portanto, quem investiu R$ 10.000,00 em junho de 2014, tem hoje aproximadamente R$ 230.000,00.

Esse é o gráfico da evolução do preço das ações da Oi empresa de telefonia (OIBR3).

Perceba que nesse gráfico de 5 anos a ação desvalorizou mais de 93%. A ação nesse período teve um ponto máximo próximo dos R$ 25 e em 31/05/2019 está valendo R$ 1,47.

Portanto, quem investiu R$ 10.000,00 em junho de 2014, tem hoje aproximadamente R$ 700,00.

É importante ressaltar que nesses exemplos consideramos apenas o ganho e a perda baseado na variação do preço.

Não foram considerados os rendimentos com a distribuição dos lucros.

Fundos de Investimento

Trata-se de um tipo de aplicação financeira que reúne capital a partir de um conjunto de investidores (cotistas).

Em fundos de investimento os investidores estão terceirizando a decisão de como investir o dinheiro.

Normalmente os fundos de investimento também são diversificados, permitindo assim investir em uma variada carteira de ativos, em diferentes mercados.

Essa carteira pode englobar Títulos de Renda Fixa, Títulos Públicos, Títulos Cambiais, Derivativos, Commodities, Ações, entre outros.

A variação de rendimento vai depender da natureza do fundo de investimento.

Fundos de renda fixa tem um gráfico mais comportado e um rendimento mais previsível.

Abaixo apresentamos o gráfico do rendimento de um fundo de investimento em renda fixa real.

A linha preta representa o CDI e a linha azul o fundo de investimento.

Já fundos de Ações tem um gráfico que pode oscilar muito e o rendimento pode variar muito, inclusive negativamente.

Abaixo apresentamos o gráfico do rendimento de um fundo de investimento em ações real.

Existem diversos tipos de fundos de investimento e iremos tratar sobre isso em outro artigo.

As cotas dos fundos de investimento normalmente são adquiridas por meio do seu banco/corretora.

Para saber como ler e entender os dados apresentados nas corretoras sobre os Fundos de Investimento, leia o artigo Entendendo os Dados dos Fundos de Investimento.

Para saber como comparar fundos de investimento, leia o artigo Analisando Fundos de Investimento.

Fundos de Investimento Imobiliário (FII)

Esse é um tipo particular de fundo de investimento que é formado por grupos de investidores com o objetivo de aplicar recursos em diversos tipos de investimentos imobiliários.

Veja o artigo 10 Vantangens dos Fundos de Investimento Imobiliário para entender melhor essa modalidade.

Podem ser shoppings, escritórios, galpões, hospitais, bancos, … o foco são os imóveis, seja para construir ou administrar imóveis já prontos.

Um ponto interessante dos FII é que eles distribuem o rendimento mensalmente.

Normalmente esse provento recebido mensalmente é proveniente dos aluguéis dos imóveis, mas pode ocorrer também por conta da venda de imóveis do fundo.

As cotas dos FII são negociadas como as ações, ou seja, por meio da Bolsa, Brasil, Balcão (B3), antiga Bovespa.

Assim como as ações, os preços das cotas dos FII também oscilam, mas em menor grau.

Câmbio

Nesta modalidade você está ganhando com a compra e venda de moeda estrangeira.

Pense nesta modalidade como se você acreditasse que o dólar hoje a R$ 4,00 estivesse barato, porque acredita que no futuro ele valerá bem mais do que isso.

Neste caso você compraria dólares e aguardaria a sua valorização, para então vender e trocar por reais novamente, ou seja, você está ganhando na variação do câmbio entre o real e o dólar.

Você pode atuar nessa modalidade de diversas formas:

  • comprando o papel em alguma casa de câmbio ou por meio dos bancos;
  • aplicando em fundos de investimento cambiais;
  • por meio de minicontratos de câmbio na B3;
  • ou por meio de corretoras especializadas nesse tipo de operação, conhecidas como FOREX (Foreign Exchange).

As criptomoedas não deixam de ser uma forma de ganho baseado na especulação do câmbio, neste caso envolvendo moedas digitais.

Poderíamos estender esse assunto falando de outras commodities, que são todas as matérias-primas essenciais que possuem baixo nível de industrialização, como agrícola (café, soja,…), mineral (ouro, prata,…), ambiental (água,…).

Poderíamos ganhar dinheiro especulando sobre a variação de preço desses produtos, mas vamos deixar para artigos mais avançados. O objetivo neste artigo foi apresentar os tipos mais conhecidos e populares para a pessoa física.


João Paulo Delgado Preti

Doutor pela Escola Politécnica da USP, possui mestrado em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Santa Catarina. Atualmente é professor associado do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Mato Grosso e presta consultoria em desenvolvimento de software.